segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Espera Ver se eu Não Cheguei

Vamos correr. Fugir. Deixar o sangue pulsando nas veias. E sentir o coração bater. Por que quem não gosta de sentir o vento no rosto quando se está em alta velocidade? Parece que o mundo inteiro desaparece. Naquele momento só existe você. Você e o vento. O vento que bate no seu rosto e joga seus cabelos para trás. Aquela brisa macia e fresca. Como uma manhã fresca de uma noite chuvosa. Ah... como adoro a chuva. E o cheiro que deixa depois que as coisas ficam molhadas... é um dos melhores que já senti. Vamos lá fora. Está chovendo. Vamos tomar um banho de chuva para afastar os pensamentos ruins e curtir esse momento. Curtir as gotas de chuva caindo sobre a pele, molhando as roupas e encharcando os cabelos. Em seguida, tão bom quanto o banho de chuva é o banho quente. Pra esquentar o corpo que ficou frio da chuva. Deixar as bochechas vermelhas e a pele aquecida. Depois, o que me resta é, deitar contigo debaixo dos cobertores para ficarmos aquecidos até a manhã chegar e termos que levantar. Mas, por enquanto, ainda é noite. Ainda estamos debaixo dos cobertores nos esquentando. Ainda esperamos pela manhã que há de nos separar. E te tenho toda para mim.

0 rubrica(s):

Postar um comentário