domingo, 21 de setembro de 2014

Dolores

(Pra você, meu querido Kiko. Eu disse que ainda te escreveria um texto, e que data mais propícia do que esta? Parabéns.)

Eu conheci uma senhora
que não era das dores
mas sim dos amores
vivia de penhores

Uma graça
simples e simpática
humilde
distante

Perguntei seu nome
ela hesitou
disse para eu não me preocupar
eu iria entender

Fiquei abismada
nada sabia
e comecei a reparar
em sua maestria

Como lidava com a vida
com as pessoas
com as dores
e os amores

E logo percebi
que não havia outro jeito
o seu nome simplesmente se revelou

Prazer, Dolores.